Tem a certeza que pretende ser removido?
Share

QUEIJO E VINHO

Por LUÍS LOPES

Queijo e vinho são, sem dúvida, parceiros de longa data. Mas a composição e as características de sabor e textura de cada um são determinantes para se criar combinações de sucesso.

 

QUEIJO DE VACA CURADO, DE PASTA MACIA E SABOR DELICADO

Vai muito bem com um vinho branco jovem e com aromas e sabores bem frutados, do Douro ou da Beira Interior.

 

QUEIJO DE VACA CURADO VELHO, DE PASTA DURA E PICANTE

Para equilibrar o picante e o sal, não podemos ir pela semelhança, mas sim pelo contraste da doçura. Um vinho do Porto LBV ou um Madeira das castas Malvasia ou Boal serão sempre boa escolha.

 

QUEIJO DE VACA DE PASTA MOLE

É boa companhia para um vinho branco encorpado e macio, da casta Chardonnay ou Fernão Pires. Um tinto bem suave, de Alentejo ou Setúbal, pode também ser opção.

 

QUEIJO DE CABRA FRESCO OU DE PASTA MOLE

O sabor fresco do leite e a acidez pedem um vinho com características semelhantes, vivo e frutado, como um Vinho Verde branco da casta Loureiro ou um branco Arinto, da região de Lisboa.

 

QUEIJO DE CABRA CURADO E SALGADO

A fruta intensa e madura de um branco do Alentejo, com base na uva Antão Vaz, equilibra e atenua o sabor forte do leite de cabra e do sal.

 

QUEIJO DE OVELHA DE PASTA MOLE (“AMANTEIGADO”)

Intenso e gordo, este queijo pede um vinho branco do Dão, fermentado em barrica. A gordura láctea do queijo vai harmonizar pela semelhança com a untuosidade e leve fumado do vinho. E também resulta pela diferença, com a acidez típica da casta Encruzado a “cortar” a gordura.

QUEIJO DE OVELHA CURADO VELHO DE PASTA DURA

Seco e austero, com grande intensidade de aroma e sabor, este queijo vai bem com um tinto jovem e sumarento do Douro, com sabores de fruta madura (amoras, framboesas), encorpado mas com taninos suaves e polidos.